Translate

6 de fevereiro de 2013

JESUS, O CAMINHO!



Todos nós passamos inevitavelmente por situações que nos afligem, quer seja em nossa atuação profissional como em nossa vida pessoal. Entre tantos aborrecimentos, o fato de se achar perdido, sem rumo e sem direção nos causa grande repugnância.

Estar perdido é ter a sensação de impotência e quando se passa por esta situação todas as demais coisas ficam irrelevantes. O foco se posiciona com muita intensidade na adversidade presente. Ninguém, em juízo perfeito, perdido dentro de uma mata fechada pensaria em sua conta bancária ou em seu telhado que necessita ser trocado ou ainda em seu carro que precisa de pneus novos.

Estar perdido gera inconvenientes variados. A sensação de estar perdido causa estranheza ao envolvido fazendo com que ele se sinta impotente diante da situação. Perder a rota verdadeira e desconhecer o local onde se encontra resulta em prejuízos por conta do tempo inutilizado somado ao medo do desconhecido.

Tanto transtorno nesta área que o homem inventou o “GPS” [Global Positioning System Sistema de Posicionamento Global]. Trata-se de um sistema de navegação via satélite que emitem sinais com informações precisas sobre uma localidade proporcionando ao navegador mais tranquilidade e menos risco de se perder durante o trajeto de sua viagem.

Tudo isto é fantástico e útil. Contudo, na vida espiritual isto é aplicável? O que fazer quando se viaja para a eternidade? Quais os cuidados que se devem tomar a respeito? O homem disponibiliza de algum tipo de “GPS” espiritual para sua maior segurança? Existe risco de se perder? Há rotas alternativas? Vejamos alguns comentários:

1 - Na vida espiritual isto é aplicável? Necessitamos tomar consciência de que este tipo de viagem não é opção de vida. Uns por questões que não vem ao caso neste momento chegam ao destino mais cedo que outros. Sem incondicional exceção, todo ser humano a partir de seu nascimento é compelido a entrar por este trajeto queira ou não. O profeta Daniel escreveu: “Mas os santos do Altíssimo receberão o reino, e o possuirão para todo o sempre, e de eternidade em eternidade” – (Daniel 7:18).

2 - O que fazer quando se viaja para a eternidade? Usar de bom senso é a resposta. O bom senso direciona o viajante de tal forma que ele possa discernir o certo do errado. Deus quando criou o homem colocou nele o juízo para tomar decisões. A Bíblia cita: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” – (Gênesis 1:26,27).

Assim como tomamos os devidos cuidados quando viajamos, seja de ônibus, carro ou avião, de igual modo necessitamos nos preparar para a mais importante de todas as viagens cujo destino é a eternidade.

3 - Quais os cuidados que se devem tomar a respeito? Devemos examinar o nosso “veículo” para saber se não há defeito. Quando digo “veículo” quero dizer corpo em sua plenitude incluindo a alma. O Salmista Davi identificado como um homem segundo o coração de Deus escreveu: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos” –( Salmo 139:23).

A Bíblia alerta sobre o perigo da iniquidade e por conta disso Davi toma os cuidados necessários para não correr riscos desnecessários em sua trajetória. O profeta Isaías escreveu para que todos possam ver, ler e entender: “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” – Isaías 59:2).

Portanto, não se deve empreender viagem sem a companhia de Deus. Viajar sem Deus é loucura. Transitar sem Deus é pedir para morrer. E se porventura houver pecado e ou defeito no “carro”? Então vá até João e leia a instrução do fabricante: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” – (I João 2:1,2).

4 - O homem disponibiliza de algum tipo de “GPS” espiritual para sua maior segurança? Sim. Felizmente o Fabricante não se esqueceu deste detalhe importantíssimo. Ele se esmerou e com muito desvelo colocou em um Livro conhecido mundialmente como Bíblia sagrada todas as instruções para que o homem possa navegar na certeza de se chegar ao destino sugerido por Ele.

Infinitamente mais preciso que o GPS é a Bíblia Sagrada. Este Livro maravilhoso é descrito desta forma: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” – (Hebreus 4:12).

Outra fonte de informação que Deus disponibiliza ao homem se chama Espirito Santo. Paulo escreveu confirmando esta disponibilização: “Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus” –(1 Corintios 2:12). Isaías confirmou: “E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do SENHOR” – (Isaías 11:2).

5 - Existe risco de se perder? Sim. A desatenção ocasiona o afastamento da rota verdadeira. Jesus disse: “Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus” – (Lucas 9:62).

Olhar para trás é o mesmo que sentir saudades das atitudes praticadas no passado, antes de ter sua vida transformada pelo poder e graça do Salvador e Senhor Jesus Cristo. O apóstolo Paulo resumiu este assunto desta forma: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” – (Filipenses 3:13,14; II Coríntios 5:17).

Existem muitos fatores no mundo que provocam a distração do ser humano em seu trajeto. Entretanto, a Bíblia cita que o dinheiro, em potencial, é influente para ocasionar distração ao homem em seu percurso espiritual. Com muita autoridade, Paulo diz: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” – (I Timóteo 6:10).

6 - Há rotas alternativas? Não. “Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte” –(Provérbios14:12. Em se tratando de caminho que conduz a salvação não há a mínima possibilidade de atalhos e ou multiplicidade de escolha. O próprio Senhor Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” – (João 14:6).

Deus em sua infinita graça, misericórdia e sobre tudo amor genuíno decidiu oferecer ao homem O Caminho abençoado. Confira o texto: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” – (João 3:16-18). Jesus Cristo foi, é e sempre será a ÚNICA alternativa de caminho seguro que leva o homem à presença de Deus Pai.

Assim sendo, pondere por onde você está andando. Não se deixe enganar. “Sede sóbrio; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” – (I Pedro 5:8). O Senhor diz: “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” – (Ap. 2:10b). 

Ore desta forma: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” – (Salmo 139:23,24). Amém?


_________ Capelão – Plínio Cavalheiro.

Nenhum comentário: